O legado da telemedicina por *Erika Fuga

“Oferecer serviços de saúde via tela amplia e democratiza o acesso, além de ser uma prática solidária, já que diminuindo os atendimentos desnecessários nas urgências, abrimos espaço para atendimento mais rápido e melhor para quem realmente precisa. No nosso país, usar a telemedicina significa também cuidar daqueles que vivem distantes dos grandes centros e não conseguem ir às cidades onde há disponibilidade de serviços de saúde. Ou que ficam sem tratamento por falta de profissional especializado onde moram. A telemedicina não é um substituto para a consulta presencial e sim mais uma forma de atendimento médico que segue regras de boas práticas, confidencialidade e segurança. Há momentos em que examinar com as próprias mãos é imprescindível e jamais deixará de ser feito”.

“Além do atendimento médico remoto, outras terapias também já se beneficiam da tecnologia, como psicologia, nutrição e fisioterapia. Outro ponto positivo desta forma de cuidado é que em momentos de crise como este pelo qual estamos passando, médicos e profissionais de saúde podem seguir atendendo seus clientes, garantindo suas receitas e a sustentabilidade de suas estruturas”.

“Esperamos que as consultas via telemedicina possam ter sua continuidade mesmo após a pandemia. Afinal de contas, com esta experiência tão positiva e bem avaliada pelas pessoas, será muito difícil recuar. Como se tem dito por aí, é um legado que a pandemia vai nos deixar. Esta modalidade nos mostra possibilidades de sermos mais eficientes, garantir qualidade técnica e aproximar cada vez mais os médicos de seus pacientes”.

Fonte: Portal Sulamérica Saúde consultado aqui em 16/07/2020

*Erika Fuga é médica e Diretora de Sinistro Saúde da SulAmérica

Supervisão terapêutica online é um importante apoio para epidemias como o Coronavírus

Ainda incipiente no Brasil, serviços como o da ODAPP, que usam a tecnologia para o contato entre a criança com TEA e seu terapeuta, são uma arma importante de clínicas e seguradoras para evitar a disseminação do novo coronavírus no Brasil.

Existem evidências de que a supervisão terapêutica online pode contribuir significativamente para casos como esse, em que se faz necessário um olhar criterioso, em tempo real, de terapeutas capacitados, assim como a utilização de sistemas digitais para dar continuidade às terapias com menor risco de disseminação do virus.

A supervisão terapêutica online é uma importante ferramenta para levar a terapia, independente do local onde a criança com TEA estiver. Usando a supervisão terapêutica online pode-se treinar e capacitar os pais para realizarem um reforço no atendimento em casa ou os professores na escola. Estes cuidadores, devidamente treinados e supervisionados pelo terapeuta a distância, realizam o preenchimento das folhas de registro em tempo real e emitem os resultados e evolução clínica da criança a distância automaticamente.

Conheça mais os serviços da ODAPP aqui