Afinal o que é Neurodiversidade?

Foto por Kampus Production em Pexels.com

“A Neurodiversidade tem como pressuposto chave que todas as formas de diversidade neurológica devem ser respeitadas. Deste modo, as terapêuticas deveriam buscar não uma cura, mas centrar-se em maximizar habilidades, fornecer suporte socioemocional e fomentar estratégias diante das demandas individuais e ambientais” (Silberman, 2015).

O importante é entender que todos são diferentes e respeitar e trabalhar a diversidade neurológica não é pensar em incapacidade, mas sim em diferentes modos de ser e de desenvolver potencialidades e por esse motivo cada dia mais a ciência estuda e reflete a respeito do conceito de deficiência e de diversidade.

Com isso, atualmente existem ativistas do movimento de neurodiversidade que se opõem à famílias e aos grupos de pais de pessoas com Transtorno do Espectro do Autismo que entendem o transtorno como doença. (Ortega, 2009). Desse modo cabe aos profissionais da área da saúde e da educação pensar em meios de trabalhar e respeitar a neurodiversidade.

A plataforma ODAPP acredita justamente nisso, e por esse motivo trabalha empoderando e conectando profissionais da saúde e da educação especial com as famílias por meio da plataforma completa. A mesma facilita o dia a dia do terapeuta dentro e fora do consultório, pois proporciona forte engajamento dos pais no tratamento e no fornecimento de indicadores de desempenho para gestores das clínicas e operadoras de planos de saúde.  Para saber mais acesse www.odapp.org.

Referências

Brilhante, Aline Veras Morais et al. “Eu não sou um anjo azul”: a sexualidade na perspectiva de adolescentes autistas. Ciência & Saúde Coletiva [online]. 2021, v. 26, n. 2, p. 417-423. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/1413-81232021262.40792020&gt;. Acesso em: 22 de nov. de 2021.

Oliver M. The Politics of Disablement London: The Macmillan Press; 1990.

Ortega, Francisco.Deficiência, autismo e neurodiversidade. Ciência & Saúde Coletiva [online]. 2009, v. 14, n. 1,p. 67-77. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S1413-81232009000100012&gt; Acesso em: 22 de nov. de 2021.

Silberman S. Neurotribes: The legacy of autism and the future of neurodiversity. New York: Penguim Random House; 2015.

Rebeca Collyer dos Santos – 
Redatora e Editora Chefe
do observatório do Autista

Psicóloga formada pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais , pós-graduada em Transtorno do Espectro Autista pelo Centro Universitário Internacional UNINTER, com cursos na área de Educação Inclusiva pela Universidade Federal de São Carlos. Atua como Psicóloga na clínica CAEP, em Poços de Caldas (MG), como Customer Success na empresa Odapp Autismo e redatora do blog Observatório do Autista.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: